Repetidora

Repetidora

domingo, 23 de outubro de 2011

O RADIOAMADORISMO E A EXPERIMENTAÇÃO


Mário Keiteris - PY2- M X K (a direita)
A experimentação humana de diversas índoles esta em todas as ordens de coisas, é por si só  ampla em sua magnitude, infinita de possibilidades e alternativas.    O radioamadorismo por sua parte, tem sua origem primordial e fundamental na experimentação tecnológica do rádio e da comunicação entre as pessoas.    Porem àquela experimentação não somente se baseia na sua origem primordial, pois a experimentação dos radioamadores são as rádio comunicações, e a experimentação tecnológica, científica e de comunicação humana plenamente vigente  até os dias de hoje.     A experimentação no radioamadorismo, pode ser tão variada em suas formas e meios que se realizam para se conseguir comunicação entre radioamadores de distintas partes do mundo.      Os requisitos para praticar o radioamadorismo, pode ser muito básico e também muito variado e complexo.     É como dizer, para que os radioamadores possam experimentar com seus equipamentos de rádio em diversos modos e freqüência em ciclos por segundo de oscilações das ondas eletromagnéticas, basicamente é requerido aos radioamadores cumprir certos regulamentos e conhecimentos técnicos.    Não é necessário estritas exigências profissionais nem tão pouco é necessário ser um técnico habilitado para praticar o radioamadorismo; ainda que técnicos e profissionais tem também a oportunidade para através deste meio para praticar e contribuir com a rádio experimentação.     De maneira que a experimentação esta permitida para os radioamadores nas radiocomunicações, e eles, a realizam a partir de uma pessoa radio operadora que simplesmente fale por um microfone e se comunique com outros radioamadores; comunicação esta que tem o propósito de compartilhar, de intercambiar informação e experiências, de amizade, de ajuda solidária e humanitária; e assim também poder efetuar, de acordo com suas preferências e capacidades, infinitas experiências com cada uma das etapas técnicas que se utilizam nas múltiplas formas e modalidades que normalmente praticam.      Em todos eles, há um fator determinante que tem permitido até os dias de hoje a vigência da experimentação do rádio, esse fator é, a tolerância da atuação humana em cada pessoa para poder manter vigente este hobby ou a atividade no rádio. Sem tolerância da ética humana, não existe experimentação e por onde, não existiria o radioamadorismo.       Sem tolerância da ética humana num meio destes é impossível a experimentação pelo rádio, porque a experimentação nutre-se de infinitas provas, ensaios, de montagens técnicas e tecnológicas, comunicados, concursos, boletins, etc; e tudo isso em condições muito variáveis, adversas inclusive, de propagação de ondas eletromagnéticas, onde a música do ruído da freqüência é muitas vezes constante, porém faz parte também da tolerância que deve existir e que todo radioamador deve superar.     O ruído é o som procedentes das condições atmosféricas, e das condições de propagação das ondas eletromagnéticas, das influências cósmicas e planetária, de diversos sinais e vozes sonoras em distintas intensidades, incluídos os sons interferentes de elementos de outros serviços de telecomunicações nas bandas de radioamador e de todo tipo de ruído das bandas laterais, é quase permanente em todo tempo e inclusive é natural até em equipamentos de rádio mais avançados tecnologicamente usados na atualidade.     Em tal sentido, quem não pode resistir e tolerar aquele ruído constante neste meio da rádio operação, tampouco poderá tolerar as múltiplas provas e modalidades que são realizadas pelos radioamadores ao falar com seus microfones dos rádios e provando cada uma das etapas técnicas e eletrônicas de seus equipamentos, podemos chamá-los de: antenas, microfones, batedores telegráficos, transeptores, amplificadores lineares, e de áudio, cabos, refletômetros, fontes de alimentação, rotores etc.
Tem limitações a experimentação dos radioamadores ?
Cumprindo os requisitos legais que são exigidos dos radioamadores, a experimentação é infinita e sem limitações, porque como é óbvio se trata de praticar sobre eternas variantes, que ao contrário é impossível descobrir.       Os conhecimentos metodológicos do rádio, se bem que é certo, são uma ferramenta importante para os radioamadores, que não constitui necessariamente a experimentação concluída, mas é igual para todos os radioamadores, porque cada um ira praticar e tirar suas próprias conclusões fazendo o seu próprio aporte individual.
A teoria e conhecimentos intelectuais sobre técnica de uso, operação e tecnologia em rádio é que originaram radioamadores e profissionais de outra época e que permanecem nos textos de estudos da rádio comunicação, constitui uma parte valiosa para os radioamadores da atualidade, porém estes por sua vez, não são concludentes e obrigatórios para o radioamador atual que deseja também experimentar de diversas maneiras para elucidar por si mesmo e justificar feitos concretos com a realidade do radioamadorismo.       É tal a variedade de atividades que se pode fazer e ser praticado por cada radioamador em um meio de espaços tão amplos, que é quase impossível que exista a intolerância sobre a experimentação.     É assim, que existem, modalidades muito antigas vigentes no mundo, como por exemplo temos a Amplitude Modulada, a Radio Telegrafia, entre outras, e cada uma delas com suas formas, sons, e métodos distintos, e todos enriquecedores para o amador da rádio comunicação.       Os erros humanos na experimentação propriamente dita, podem chegar a ocorrer pelas incessantes provas e experiências que é praticado em um meio que é intrinsecamente a experimentação, porém estes erros (involuntários), não sobre passam os limites regulamentários, deve sempre primar a tolerância por sobre a descriminação e a desqualificação.       Em conclusão, cada radioamador, em seu legítimo direito, experimenta o radioamadorismo como melhor lhe pareça e se acomode de acordo a seu gosto, com suas possibilidades e principalmente com seus conhecimentos.
A tolerância na ética então, está presente entre os radioamadores e nas rádio comunicações com respeito mútuo, cordialidade, amizade e fraternidade que tem permitido a rádio experimentação estar vigente e presente.
 Autor :Mário Keiteris - PY2 M X K
Na esperança de que o presente artigo seja do agrado de todos espero seus comentários, críticas ou sugestões, pôr agora despeço-me com um forte e cordial 73.