Repetidora

Repetidora

sexta-feira, 11 de abril de 2014

O Radioamador e Professor Paulo Costa Leite merece os nossos PARABENS!!!!!!!!!!!!!






“Tenho formação na área de aviação, sou piloto da Força Aérea Americana e esse meio me direcionou a escolher a carreira de astronauta”, disse o americano Michael Hopkins, direto da Estação Espacial Internacional - Expedição 38 ao responder a pergunta do estudante Danilo de Lima na manhã desta quinta-feira, 13, no auditório da Escola Gonçalves Dias.
Além de Danilo, outros dez estudantes de Roraima tiveram a oportunidade de fazer perguntas ao astronauta que estava em órbita a 420km da Terra. A experiência de comunicação em tempo real entre os estudantes e o astronauta foi realizada via uma estação radioamadora montada no auditório da escola.
A iniciativa histórica para o Estado de Roraima partiu do orientador educacional e radioamador, Paulo Costa Leite que em fevereiro 2012, inscreveu a Escola Gonçalves Dias para participar do Projeto ARISS, desenvolvido pela NASA (National Aeronautics and Space Administration).
A aprovação veio em setembro do ano passado e de lá pra cá, muitas foram as atividades, pesquisas e estudos para que tudo ocorresse da melhor forma possível. E o resultado veio nesta quinta-feira (13), com a perfeita comunicação entre os alunos de Roraima e o astronauta em órbita.
“Deu tudo certo, tudo conforme o planejado, trabalhamos muito, mas o esforço, com certeza valeu a pena”, disse satisfeito o idealizador da ação, Paulo Costa Leite. Para os estudantes, o momento foi único.
“Fiquei muito nervosa, achei até que ia esquecer a pergunta que eu ia fazer para o astronauta, mas na hora consegui falar”, disse emocionada Thaís Santana, aluna do 2º ano do Ensino Médio da Escola Gonçalves Dias.
Débora Santana, mãe de Thaís, acompanhou todo o trabalho dos alunos, que tiveram aulas extras no turno noturno todas as quintas-feiras para aprofundar os conhecimentos sobre Física, Geografia e radioamadorismo.
“Eu incentivei muito a Thaís, vinha para a escola com ela, participava também das aulas. Eles se esforçaram bastante e penso que outras escolas também poderiam desenvolver projetos como esse para incentivar os alunos”, disse Débora.
Participaram da atividade, sete alunos da Escola Gonçalves Dias e quatro alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRR). Eles tiveram aulas sobre temas como frequências, comprimento de ondas e construção de antenas (Física), elevação, ângulos, latitudes, longitudes (Geografia) e também noções sobre radioamadorismo.
O secretário Estadual de Educação e Desporto, Raimundo Nonato de Mesquita participou do contato. Para ele, o fato de ser o primeiro contato de alunos da rede pública estadual e federal com uma Estação Espacial, estimulará o interesse por disciplinas como Física, Química, Geografia e História, por exemplo.
“Estamos muito orgulhosos com a iniciativa do orientador educacional da Escola Gonçalves Dias, Paulo Leite, que mostra o compromisso profissional para a melhoria da educação pública em nosso Estado. A escola e os alunos estão de parabéns pelo o projeto e esperamos que a iniciativa se repita aqui e em outras unidades escolares da nossa rede estadual”, frisou o secretário.

A interação com o astronauta

A comunicação com o astronauta durou oito minutos e meio e entre as perguntas, os estudantes questionaram sobre como é vida no espaço, quanto tempo que um astronauta passa em uma missão espacial e o que acontece quando um deles se machuca no espaço.
O astronauta Michael Hopkins disse que achou todas as perguntas muito oportunas e respondeu uma a uma. Quando foi questionado se teria que fazer algum tratamento médico quando voltasse a terra depois de seis meses no espaço, disse simplesmente: “Não sei, ainda não retornei à Terra”.
As perguntas e respostas foram realizadas em inglês e ao término da comunicação com a Estação Espacial, Thaís Smith, intérprete, acadêmica do curso de Relações Internacionais da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e colaboradora no projeto, traduziu todas as respostas do americano. A tradução não possível acontecer de forma simultânea em virtude do tempo disponibilizado para a comunicação, que é de no máximo, dez minutos. “Fiquei muito feliz por ter colaborado com o projeto”, declarou.
“Este foi realmente um projeto ousado e inovador. Vimos estudantes e professores empenhados e dedicados em estudos e pesquisas. Com certeza é uma forma diferente e estimulante de educar e qualquer instituição pode desenvolver projetos desse tipo, basta ter força de vontade e dedicação”, disse Valdenrique Alves, gestor da Escola Gonçalves Dias.
Com esta ação, Roraima entra para a história como o quinto Estado do Brasil a fazer contato com uma Estação Espacial Internacional. As outras quatro vezes ocorreram no Rio de Janeiro, duas delas com o astronauta Marcos Pontes, que também já visitou Roraima em outras oportunidades. O último contato foi realizado no ano de 2009.

Entenda o projeto Ariss

O projeto educacional ARISS é uma iniciativa educacional internacional criada pela NASA, com a intenção de estimular os alunos a seguirem carreira nas áreas da Ciência e Tecnologia, por meio de contatos via estação radioamadora com astronautas no espaço.
O projeto proporciona a comunicação em tempo real entre estudantes em qualquer lugar do Brasil e do mundo com os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional. Essa interação dura cerca de 10 minutos, que é o tempo que a Estação leva para passar sobre uma determinada localidade.
O projeto ARISS permite que alunos aprendam sobre a vida a bordo da Estação, a exploração espacial, as reações do corpo humano no espaço e diversos outros assuntos ligadas às disciplinas científico-tecnológicas.

Qualquer instituição pode entrar em contato com a NASA para participar da ação, pois a intenção é justamente divulgar as atividades da Organização e motivar os estudantes a desenvolverem pesquisas e estudos relacionados ao espaço e a exploração também. Outras informações podem ser encontradas no site http://www.nasa.gov/


O grupo de radioamadores Campo das vertentes parabeniza ao Radioamador e Professor   Paulo Costa Leite os nossos agradecimentos pela iniciativa

QUE OUTROS PROFESSSORES RADIOAMADORES POSSAM FAZER UM TRABALHO DESSE EM SUA ESCOLA  AI FICA A DICA.