Repetidora

Repetidora

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

CONFERÊNCIA MUNDIAL DE RÁDIO APROVA NOVA FAIXA DOS 60 METROS.


A Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão (LABRE), através do seu grupo de Gestão e Defesa Espectral, está participando durante o mês de novembro da Conferência Mundial de Rádio de 2015 (CMR-15) em Genebra, Suíça.

A CMR-15 é um evento coordenado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), entidade da Organização das Nações Unidas (ONU).  Seu objetivo é avaliar propostas de mudanças na ocupação do espectro eletromagnético e nos padrões técnicos dos serviços de telecomunicações. As alterações podem afetar quaisquer dos segmentos de radiocomunicação como internet móvel, telefonia celular, satélites, radiodifusão, comunicações militares, marítimas, aeronáuticas, segurança pública, radares, radioastronomia (serviço passivo), etc.

Reúnem-se na CMR-15 representantes de todos os países em delegações nacionais sob a liderança dos seus respectivos governos. A delegação brasileira é formada por representantes de setores das telecomunicações, indústria, sociedade e governo. A coordenação é exercida pelo Ministério das Telecomunicações (Minicom) e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A delegação brasileira encontrou-se com regularidade nos últimos três anos em torno das Comissões Brasileiras de Comunicações (CBC) na sede da Anatel em Brasília-DF. As reuniões serviram para acompanhar os estudos de compartilhamento e obter consensos nacionais sobre itens de agenda da CMR-15. As deliberações foram defendidas em reuniões da Comissão Interamericana de Telecomunicações (CITEL) na Organização dos Estados Americanos (OEA), nas Reuniões Preliminares da Conferência (CPM) e agora na CMR-15 da UIT.

A LABRE/GDE participou desse processo. Na CBC foi relatora do item de agenda 1.4 (possível atribuição de faixa em caráter secundário aos radioamadores em torno dos 5300 kHz) e porta-voz da CITEL na CMR-15, representando a Região 2 neste tema.

O fato da conferência discutir uma possível nova atribuição não garante sua aprovação, pelo contrário, ela pode ser adaptada, negada ou mesmo voltar como item de agenda para a próxima CMR planejada para 2019. Tudo depende de como os países interpretam os estudos e resolvem as diferenças. Essa é a mesma situação de todos os itens da agenda em discussão, levando a uma conferência longa e não raramente conflitiva, porém importante e necessária para harmonizar e parametrizar o futuro das telecomunicações em todo o mundo.

Funcionamento da CMR

A Conferência Mundial de Rádio está dividida em sete Comitês Temáticos (COM). Cada comitê têm grupos de trabalhos (WG), que por sua vez está dividido em subgrupos (SWG). Toda proposta de mudança nas ocupações das faixas previstas nas Regulamentações de Rádio (RR) da UIT passa primeiro pelo SWG, subindo de nível ao WG, depois ao COM até chegar à plenária da conferência. Em todos os estágios ela precisa de aprovação. Na plenária a versão acordada é lida duas vezes para que seja reafirmada por todos os países. Apenas após a última leitura a proposta é tida como aprovada. Após encerramento da conferência ocorre a revisão das Regulamentações de Rádio (RR) da UIT com as mudanças aprovadas na CMR.

As decisões são consensuais, ninguém pode ser contra. A votação é rara e evitada. Havendo contrariedade buscam-se negociações para dirimir diferenças, caso contrário será o assunto decidido em nível superior tendendo para sua reprovação ou reinserção em futura conferência.

Proposta para nova faixa dos 60 metros

A proposta de atribuição em caráter secundário aos radioamadores de uma faixa em torno dos 5300 kHz foi definida pela Resolução 649 na CMR-12 e entrou como item 1.4 da agenda da CMR-15. A sugestão da CITEL, apoiada pelo Brasil, foi a mais ampla com faixa de 175 kHz e limites de potência e uso a serem definidos pelos países. Outras 14 propostas foram feitas por diferentes países, grupos de países e regiões apoiando diferentes configurações da faixa ou defendendo o NOC (No Change), ou seja, opondo-se a presença dos radioamadores nos 5 MHz.

Entre os países NOC se destacaram a Rússia, Estados Unidos, China, Irã, França, Alemanha, Egito, entre outros. As razões foram a ocupação desta faixa por estações militares e governamentais desses países, os estudos teóricos não conclusivos sobre a compatibilidade entre serviços, oposição às faixas e potências propostas.
As primeiras discussões no nível de subgrupo foram muito tensas, algo esperado em temas polêmicos. Houve um momento que o item 1.4 chegou a ser o mais discutido no Fórum interno da CITEL, superando outros itens mais complicados.

O chairman do subgrupo reduziu todas as propostas a duas: uma contrária à alocação (NOC), outra a favor que, no entanto precisava de uma redação comum. Nos primeiros dias a CITEL, CEPT (Conférence Européenne des administrations des Postes et des Télécommunications) e ATU (African Telecommunication Union) realizaram um acordo propondo 100 kHz de banda, imediatamente vetado pelos NOC. Negociações foram realizadas para se reduzir a banda, buscando flexibilização dos proponentes e opositores. No entanto apenas 15 kHz de banda e 15 W eirp foram postos como condições pelos NOC, caso contrário o bloqueio seria mantido e o item encerrado sem a atribuição.

O Brasil levantou a questão da zona de proteção dos países da RCC (Regional Commonwealth in the field of Communications) para defender aumento de potência para estações nos países da América Central, Sul e Caribe. O argumento foi aceito, porém houve discordância no valor de potência e sua caracterização. Após muito debate a opção com maior potência para a região foi 25 W eirp.

A redação da nota de rodapé discriminando os países aptos a elevar potência fomentou uma nova sequência de conflitos e intermediações, na sua maioria por razões geopolíticas que ameaçaram novamente a conquista da faixa, mesmo nestes valores de potência e faixa reduzidos.

Acordos foram pontualmente firmados para pacificar a redação e os NOC retiraram suas oposições, tornando todos envolvidos favoráveis à alocação secundária aos radioamadores entre 5351,5 kHz e 5366,5 kHz com a seguinte nota de rodapé (livre tradução):

"Estações do Serviço de Radioamador utilizando a faixa de frequências de 5 351.5 - 5 366.5 kHz não devem exceder a máxima potência radiada de 15 W (e.i.r.p.). No entanto no México as estações do Serviço de Radioamador utilizando a faixa de frequências de 5 351.5 - 5 366.5 kHz não devem exceder a máxima potência radiada de 20 W (e.i.r.p.). Nos seguintes países da Região 2: Antígua e Barbuda, Argentina, Bahamas, Barbados, Belize, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Dominica, El Salvador, Equador, Grenada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Saint Lucia, Saint Kitts e Nevis, Saint Vincent e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai, Venezuela, assim como territórios ultramarinos da Holanda na Região 2, estações do Serviço de Radioamador utilizando a faixa de frequências de 5 351.5 - 5 366.5 kHz não devem exceder a máxima potência radiada de 25 W (e.i.r.p.)".

Após quase duas dezenas de reuniões a proposta foi aprovada nos níveis superiores. No dia 18 de novembro de 2015 ela foi lida duas vezes e aprovada na plenária da CRM-15.

Outros itens em debate

Continuam em discussão outros itens da CMR-15 que afetam indiretamente o radioamadorismo. Eles tratam de novas faixas para IMT em UHF e SHF, novas faixas para radares automotivos, deliberação sobre futuros itens de agenda envolvendo mais faixas para IMT acima dos 6 GHz, faixas para small satellites, harmonização de algumas faixas de radioamador na Região 1.

Aproximadamente 40 radioamadores participam das delegações nacionais na CMR-15. Nem todos estão trabalhando em itens relacionados ao radioamadorismo. Por outro lado alguns estão integrados à IARU (International Amateur Radio Union), monitorando e auxiliando o radioamadorismo nos grupos de trabalho.

Primeiras conclusões

Ao se avaliar apenas os valores acordados, a nova faixa de 60 m pode ser motivo de crítica devido seus valores restritivos. Por outro lado, considerando a forte oposição de potências mundiais e regionais com poder de veto, a conquista de uma nova faixa de HF – a primeira após 36 anos da WARC-79  – também pode ser entendida como uma conquista.

Para centenas de países esta faixa não estava prevista para os radioamadores, mesmo para finalidade experimental cuja atividade equivalia em alguns casos ao uso de frequências não coincidentes. Agora se obteve uma atribuição internacional permitindo que todos os países possam incorporar esta atribuição à suas legislações nacionais, autorizando operação dos radioamadores num segmento comum.

Ou seja, o trabalho na WRC-15 trouxe um resultado possível e realista, autorizando uma pequena nova faixa de HF que poderá no futuro, após sua paulatina ocupação, ser redesenhada de maneira a expandir sua capacidade de comunicação.

Importante frisar que no Brasil, mesmo com a banda de 60 m aceita na WRC-15, ela apenas será autorizada no momento que for incorporada às resoluções do Serviço de Radioamador pela Anatel.

A LABRE solicitou a atualização das normas para a Anatel, especialmente sobre uso do espectro. A absorção de outras conquistas espectrais de conferências anteriores, além do pareamento do Plano de Destinação de Radiofrequências com o previsto para a Região 2 da UIT também foram demandados.

Fonte:Labre-DF

domingo, 29 de novembro de 2015

Alto do Morro da Mandioca instalações da PY4-ROL.


PY4-ROL- Repetidora da cidade de OLIVEIRA - MG, com frequência de 146.890 instalada no morro da mandioca com altitude de 1170 m próximo a BR:381 Fernão Dias, vem rompendo as Serras de Minas Gerais, é mais uma repetidora para encontros de amigos, informações cientificas  e ajuda a quem necessitar de uma comunicação, a todos os mantenedores os nossos parabéns .

Da esquerda p/ direita PU4-PHR PEDRO, JEAN, PY4GSS GILBERTO
foto: Arquivo Pessoal- PU4-PHR

sábado, 21 de novembro de 2015

A importância do Radioamadorismo.



Todas as pessoas que denominam-se de radioamadores, são aquelas pessoas que tem pôr interesse próprio as radiocomunicações e com espírito recreativo estuda, experimenta e pratica com equipamentos projetados industrialmente ou construindo artesanalmente seu transceptor para exercer suas atividades com conhecimentos tecnológicos.

O radioamadorismo também promove um passatempo sadio e benéfico para todos, sem importar idade, sexo, raça, condição social, também promovendo a amizade entre os povos ao oferecer a possibilidade de estabelecer contatos internacionais de forma regular direta de pessoa a pessoa, além de que este “hobby” não reconhece barreiras ou seja : etnias religiosas ou culturais, limites geográficos ou econômicos ou outras, constituindo uma ponte única e sem paralelo na experiência humana entre os povos de diferentes nacionalidades ao redor do mundo, portanto o radioamador é um Embaixador da pátria, do pais que esta representando e que através das ondas de rádio com os seus equipamentos vem unir estes povos.

Antes da Internet e dos telefones inteligentes, os radioamadores já estavam falando, provando, e compartindo durante décadas.

Porem apesar dos serviços comerciais o radioamadorismo continua atraindo as pessoas de todo o mundo proporcionando comunicações nacionais e internacionais de forma gratuita.

E devido a não necessitar de uma infra-estrutura de apoio preestabelecida, é a sagacidade destes radioamadores que os fazem comunicar-se com amigos de todo o mundo e também do espaço.

É mais que um simples hobby, amadorismo ou passatempo; um radioamador é um servidor público,

Nas emergências tem conseguido salvar vidas graças a este amadorismo, (um furacão aqui, um remédio que não encontra-se em determinado pais ali, um barco a deriva mais acolá, etc.), também torna-se um embaixador de seu pais de povo a povo, pôr outro lado é um experimentador nato, com uma vontade de inventar sempre, com a construção de antenas, rádios etc. Ate a poucos anos, o radioamador era requerido com muita freqüência para o envio de mensagens urgentes.

As comunicações telefônicas naquela época eram lamentáveis e demoradas, as chamadas de pouca distância levava horas para serem completadas, as de longa distância ate dias de espera.

Nesta época, inclusive, as comunicações dos radioamadores eram mais confiáveis, eficientes, estáveis e rápidas do que a que podia-se estabelecer via telefone.

Para servir a guisa de exemplo anoto aqui que a antiga Telesp , informava uma demora de 45 minutos a 1 hora para fazer uma simples ligação telefônica com a vizinha localidade São Bernardo do Campo S.P., município que localiza-se a 30 kilometros do centro da Capital de São Paulo. Para estabelecer um contato via telefone com outras capitais do Brasil levava-se um dia inteiro de espera, as vezes ficava para o dia seguinte. Isso não estava acontecendo em 1900 ou antes, mas bem recentemente em 1990.

Da sua estação radioamadora as vezes ainda construída pôr suas próprias mãos, e muitas vezes assessorado pôr um profissional gabaritado, o radioamador consegue contatar-se e enviar uma mensagem em minutos para qualquer parte do pais ou do mundo, de onde outro radioamador prestativamente o atende e ainda prontifica-se a entregar a mensagem pessoalmente no domicilio do destinatário de forma pessoal e desinteressada.

Mensagens estas para prevenir, para fazer chegar medicamentos e assistência a lugares impossíveis, para ajudar as pessoas necessitadas, para reunir famílias dispersas, e para tantos outros fins nobres e desinteressados.

A maioria destas mensagens consistiam em avisos de familiares doentes, acidentes, falecimentos, e outros mais agradáveis como : aniversários, nascimentos, ou ainda alguma solicitação de medicamentos (muitas vezes raros e difíceis de encontrar), que de outra forma nunca chegariam a tempo e o radioamador transmite sempre da mesma forma a boa ou a má noticia. Vamos ler uma vez mais, uma historia real de radioamador, acontecida na Europa já a algum tempo no passado, esse fato que realmente aconteceu, gerou a produção de um filme cinematográfico francês da fase do “cinema realista” tornando-se uma verdadeira homenagem a todos os radioamadores do mundo.

O filme "Se todos os Homens do Mundo" constitui um exemplo de mentalidade humanista, com um tema que representa, por si mesmo, uma unidade didática, estimulante e inspiradora, a Filmsonor S.A. distribuiu internacionalmente este filme francês da “Ariane-Filmsonor-Francinex”, no 2º trimestre de 1955, tendo como titulo em francês (Si Tous Les Gars du Monde, onde seu diretor Christian Jacque retratou, com muita competência, no formato Preto e Branco).


O filme resumido é assim :
Foi o drama vivido por tripulantes de um pequeno barco pesqueiro, acometidos por botulismo, no Mar do Norte, doença esta provocada pela ingestão de carne deteriorada.

Somente um soro obtido no Instituto Pasteur em Paris poderia salvá-los. Através de um circuito de radioamadores, mobilizam-se algumas pessoas que, aos poucos, vão ampliando o âmbito de ação.

Apenas um dos tripulantes, o único que não provara o alimento envenenado, continua de pé, e estava são, conseguindo passar por rádio uma mensagem de socorro que foi captada por um radioamador, que fez contatos com outros radioamadores, formando uma corrente internacional, que possibilitou que chegasse aos tripulantes o soro salvador.

Era justamente o elemento desprezado pelos demais tripulantes e que, afinal, se atira nas águas geladas do Mar do Norte para recolher a vacina...


A simplicidade, o realismo e o suspense imprimem intensidade dramática ao filme, ao mesmo tempo que por ele perpassa um grande sopro de solidariedade humana.

Indivíduos de diferentes nacionalidades, importantes companhias de aviação, um jovem radioamador de Paris, um cego de guerra em Berlim, um piloto de caça soviético, civis e militares, homens e mulheres, todos se movimentam a fim de salvar um punhado de vidas humanas e o conseguem, após denodados esforços.

Efeitos especiais dão-lhe um tom de documentário elaborado, repleto de indícios sugestivos, realçados por uma simbologia eficaz.

Quantas lições para os adolescentes, que despertam para os problemas mundiais! "Se Todos os Homens do Mundo", focaliza o heroísmo anônimo, apagado, demonstrando o que poderia ser o panorama mundial, se houvesse um pouco mais de boa vontade entre os homens, como no radioamadorismo, é um filme cujo tema é a solidariedade, e deveria voltar a ser exibido nos dias de hoje.

Temos vários episodios da Importancia do Radioamador, como O Furação “Katrina”, em Nova Orleáns, o deslizamento de morros provocados pelas chuvas no Rio de Janeiro,Enchentes no estado do ES, rompimento de baragem em Mariana - MG,  terremoto no Chile, onde foi interrompido as comunicações telefônicas, dos celulares, e da internet e outros serviços.E assim estão os radioamdores sempre alertas

Foram os radioamadores que tiveram uma atuação relevante, onde passaram mensagens levando a tranqüilidade a muitos familiares que de imediato ficaram incomunicáveis, desconhecendo a sorte de seres queridos na zona do desastre, os radioamadores colaboraram eficientemente recebendo e retransmitindo informações da Rede de Emergência Chilena.

Essa tarefa de servir a comunidade, que faz com dedicação, afeto, e vocação de serviço, com um alto conceito de ética, amizade e dignidade humana. É conhecida a tarefa comprida pelos radioamadores nos casos de catástrofes naturais e de todo tipo de emergências, nas quais na maioria das vezes são os radioamadores os primeiros a dar a voz de alerta. J

á que nestas catástrofes o primeiro a faltar nestas circunstancias é a energia elétrica, sobrevindo a incomunicabilidade total dos computadores que não funcionam, e muito menos as repetidoras dos celulares.

O radioamador conectando simplesmente uma bateria em seu equipamento esta apto e em condições de sair ao ar com a segurança de que será ouvido por todos.

Vale apena assistir ao Filme francês sobre radioamadorismo,em preto e branco com legendas em espanhol.


Fonte Autor : Mário Keiteris - PY2 M X K


domingo, 15 de novembro de 2015

Atol das Rocas IOTA-SA-038 2015.




PY0R / PY7RP & PU0R / PU0FDN estará no ar a partir de Atol das Rocas – IOTA SA-038 de  hoje dia 15 a 21 de Novembro. Esta é uma DXpedition IOTA raro e também válido como PY0F DXCC para prêmios da ARRL. A última operação foi em 1992 e agora coloca a terceira posição nos grupos IOTA mais procurados em SA. As datas reais são estimativa única vez que a operação depende do mar O Atol das Rocas é um recife anelar elíptico pertencente ao estado do Rio Grande do Norte, a 144 mn a lés-nordeste da cidade de Natal e a 80 mn a oeste do arquipélago de Fernando de Noronha, em águas jurisdicionais brasileiras.


fonte:/http://paradxgroup.com/

sábado, 14 de novembro de 2015

Campanha para o Retorno do amigo PY4-IR Walter Dutra Motta (Waltinho)

Vamos Retornar com Nosso amigo PY4-IR (Waltinho)


Ajuda para meu avô que está em coma nos Estados Unidos da América voltar para o Brasil e ser cuidado por seus familiares. Precisamos que ele retorne, pois não temos condições financeiras de mante-lo no hospital nos Estados Unidos e também não temos quem cuide dele lá. Ele precisa retornar para perto de nós. Amamos muito ele, quem puder ajudar agradeço desde já!

Sobre acontecimento:

Em Julho de 2015 toda a família embarcou para o Texas nos Estados Unidos para o casamento do meu irmão Thiago Motta. Poucos dias depois meu avô Walter Dutra Motta (PY4-IR Waltinho) passou mal e precisou ser internado para uma cirurgia do coração aonde colocaria três pontes e safena. Algumas semanas depois ele retornou para a casa do seu neto e depois de três dias sofreu uma parada cardio respiratória, aonde precisou retornar ao hospital e encontra-se em coma desde então. O hospital aonde Walter está, quer transferi-lo para uma casa de repouso, aonde tem várias pessoas na mesma situação que ele. Não queremos que isto aconteça, pois meu avô sempre foi uma pessoa muito bondosa e caridosa, queremos que ele seja cuidado por sua família no Brasil, aonde estão seus filhos e seus netos. Para que ele seja transferido, precisamos de uma UTI Aérea para traze-lo de volta para casa. Conseguimos juntar algum dinheiro com a família e algumas doações, mas ainda faltam cerca de 28.000,00 reais. Quem tiver condições de ajudar agradeço desde já!

Para Doações acesso o link abaixo:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-para-meu-avo-em-coma-voltar-para-casa

Fonte:Labre-MG

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

5 DE NOVEMBRO, DIA DO RADIOAMADOR BRASILEIRO.



Olá colegas Radioamadores Brasileiros! A seguir a íntegra de documento-estudo que
mostra porque o Dia do Radioamador Brasileiro é a 05 de novembro. O trabalho foi
elaborado por João Ramos Baccarat - PY2AJ, de Santos, que o apresentou ao Conselho da
Labre em reunião na cidade de Curitiba-PR, em 1968.

DIA DO RADIOAMADOR

I - CONJETURAS Dizem as notícias antigas, publicadas há longos anos, que a LABRE FOI
FUNDADA NA MEMORÁVEL ASSEMBLÉIA GERAL DE 02.02.1934.(1)

Há duas observações a fazer, quanto ao que vem dito acima:

a) - não foi assembléia geral, mas, simplesmente, ASSEMBLÉIA, a reunião, porque não
estava, ainda, fundada a LABRE, e não haveria sócios dela para, daquela forma, se
reunirem. Essa assembléia foi, apenas, assembléia de amadores, com o objetivo de
fundar uma associação, que seria a terceira, substituta das duas existentes, uma em São
Paulo, a LABRE, outra no Rio, a RÊDE. Se se falasse em ASSEMBLÉIAS, no plural, com um
pouquinho de boa vontade, poderia aceitar-se a afirmativa, porque, nesse caso, seriam
duas assembléias, das duas entidades que se fundiram, realizadas SIMULTANEAMENTE:
E, ainda, assim, seria uma só a reunião...

b) - a notícia fala em MEMORÁVEL assembléia, mas verdade é que, a despeito de ser
digna do qualificativo, pelo amor que os labreanos devem à entidade da classe, deixou de
ser MEMORÁVEL, de merecer lembrança, pela razão de ter sido sepultado em negro vaso
de água do esquecimento: ninguém, hoje, dela se recorda. Até agora tem passado
despercebida a data "MEMORÁVEL" da FUNDAÇÃO da LABRE. Há mais, desgraçadamente:
- existem filhos de ÉRIS, enojosos, que a querem destruída...
Comemora-se, hoje, o dia do RADIOAMADOR em data que não corresponde ao
nascimento do radioamadorismo aqui, como tive oportunidade de demonstrar nos artigos
escritos e intitulados: "O PRIMEIRO AMADOR DO RIO GRANDE DO SUL" e "MARANHÃO -
AMADOR ESQUECIDO". Foi instituído o radioamadorismo brasileiro, ao reconhecer-lhe o
Governo a existência, deferir, em 1925, a requerimentos dos interessados, e concederlhes
prefixos, os mesmos que figuram na lista publicada na "REVISTA TELEGRÁFICA", de
Buenos Aires. (2)
É sugestivo o documento: "Tenho o prazer de comunicar ao colega que RGT (3) lhe
concedeu, oficialmente, o prefixo 2AJ. Não foi possível obter o prefixo pedido, pois a
repartição está dando em ordem alfabética sem levar em consideração as diferentes
cidades do mesmo distrito. Pse comunique ao seu primo Carlos que o prefixo dele é 2AK.
Espero breve ter o prazer de fazer QSO com o colega. Breve enviarei lista completa
amadores brasileiros." Comprovadas as afirmativas, pelo que consta neste cartão de
CHERMONT, (Documento 1) datado de setembro de 1925, não há fugir à conclusão a que
cheguei, nos referidos artigos deste livro. Nessa época, ficou "OFICIALIZADO" o
radioamadorismo no Brasil. Até aí, era ele clandestino, segundo informação de LEONARDO
JONES, 2SP, em visita que me fez, no mês de janeiro do ano corrente, de 1968.
Comemorar o dia do radioamador, porque lhe regulamentaram as atividades numa
PORTARIA MINISTERIAL, a de número 829, de 22.10.1935, é um contrassenso, é
injustificável, pois, antes deste ato, JÁ EXISTIA RADIOAMADORISMO, que vinha de 1923,
embora "CLANDESTINA, ou OFICIOSAMENTE": as instruções, deveres e limitações às
atividades amadoristas nela reguladas, preexistiam-lhe. Entre esse ano, no qual os
amadores do Rio de Janeiro iniciavam o aprendizado da recepção auditiva do morse, nas
aulas ministradas pelo professor ALBERICO DE MORAIS, (4) e a "PORTARIA 829"
medeiam DOZE ANOS, e comemorado o dia do radioamador, na data desta,
forçosamente, teremos de reconhecer, QUE O RADIOAMADORISMO NÃO EXISTIU NESSE
LONGO PERÍODO DE TEMPO, nesses doze anos! Torna-se, portanto, insustentável,
comemorar-se o DIA DO RADIOAMADOR a 22 de outubro.
Puxando pela memória, e consultado o arquivo, concluo que esse "RECONHECIMENTOAUTORIZAÇÃO"
do radioamadorismo se deu em fins de agosto, ou na primeira quinzena
de setembro de 1925, porque entre os dias 14 e 20 deste mês, bz2AB se encontrava no
éter, com este prefixo "OFICIAL ou OFICIOSO" do DCT, e JONES, 2SP, clandestino, "SE
OFICIALIZARA", por esse ato, passando a transmitir com o prefixo 2AA. Infiro, dos
argumentos expendidos, ante a documentação até agora compulsada, que existiram duas
datas para se comemorar o DIA DO RADIOAMADOR, uma excluindo a outra, como é
óbvio: a) - a da autorização, ou reconhecimento do radioamadorismo, em agostosetembro
de 1925; b) - a da fundação da LABRE, em 1934.
Não se poderá cogitar desta última data, para essas comemorações pelo mesmo motivo
por que se não deverá comemorar a de 22 de outubro: - o dia do radioamador não é o dia
da LABRE, se como é sabido, notório - o radioamadorismo NASCEU ANTES DELA. O fato
capital, que deverá ser, para todos nós, MEMORÁVEL e, portanto, digno de
COMEMORAÇÃO, é o dia em que o GOVERNO BRASILEIRO reconheceu e autorizou a
existência "OFICIAL" do radioamador.
Acredito que o Presidente da LABRE ao iniciar essas comemorações, esse 22 de outubro,
ao aceitar a sugestão do ex-PY2KO, Padre CÍCERO DA COSTA REVORÊDO, artífice da idéia
desse dia dedicado ao radioamador, nunca por nunca, cogitara no ato governamental
antecedente, o que reconhecera e autorizara o radioamadorismo. (5) Por que comemorar
esse dia 22 de outubro, se na realidade, ele nada significa para a classe, diante da grande
data em que o Governo autorizou o trabalho dos amadores? (5) II - Clareza Que dia é
esse que substituirá o dia 22 de outubro? Em setembro de 1925, o QST, da ARRL,
publicou o STRAY de 2SP, JONES, que se referiu à LEGISLAÇÃO BRASILEIRA do
radioamadorismo. (7) Que LEGISLAÇÃO seria essa, em 1925, anterior a setembro, se os
mesmos JONES, LACOMBE e FREIRE, já se encontravam no éter, no primeiro semestre do
ano? Em artigo anterior, mostrei que a IARU se organizara no Congresso de Amadores,
em Paris, em ABRIL DESSE ANO, e que LACOMBE representara OS AMADORES DO
BRASIL, nessa reunião.
Na revista QTC, 103/15, afirmou ÁLVARO FREIRE, que o primeiro comunicado brasileiro -
não confirmado com QSL - fora entre ele, b1AB, e LACOMBE, b1AC, em 1923,
clandestinos, segundo barrunto, logo depois de iniciadas as aulas do professor ALBERICO
DE MORAIS. O número 94/22 da mesma revista iniciou publicação de "QUADRO DE
HONRA - VETERANOS e RECORDISTAS", de início com os nomes de 1AB, ÁLVARO FREIRE,
e 1AJ, JOÃO DO LAGO, que realizaram QSO, em 14.06.1925, o primeiro, e em
26.11.1925, o segundo. Antes disso, porém, já havia muitos brasileiros no éter, servindo
a referência, apenas, para fixar a época, anterior a 22.10.1935.
Há mais. Em janeiro de 1925, BRAGGIO, na RT-148/28, publica - "que em duas noites,
OUVIRA A ESTAÇÃO BRASILEIRA 1AB", de ÁLVARO. Se a publicação fora em janeiro, a
recepção constante das "LLAMADAS OÍDAS", seria, pelo menos, DO MÊS ANTERIOR, de
DEZEMBRO de 1924! Na mesma RT-149/60, na seção "DEL EXTERIOR-BRASIL", LÍVIO
MOREIRA acusa a recepção de 1AC (LACOMBE), no dia 03.12, às 00:30 horas, e de
mensagem de CB8 (BRAGGIO) a 2SP (JONES), a 00:00 horas de 30 de dezembro de
1924. Compreende-se, agora, o que significaria a afirmativa do referido STRAY de 2SP, no
QST de 1925 citado.
No mesmo local da RT, página seguinte, vem transcrito o "EXTRACTO DE LA
REGLAMENTACION APROBADA POR EL GOBIERNO DEL BRASIL". QUE ENTROU EM VIGOR
EM DEZEMBRO DE 1924! Entre os quatro grupos de estações de rádio, reconhecidas pelo
Governo Brasileiro, figura as da letra "D": "ESTAÇÕES DE AMADORES". Assim, em aí me
fundo, mais convincente, como se verá, para que não seja necessário buscar outros
adminículos de prova à afirmativa - o dia 22 de outubro não é o DIA DO RADIOAMADOR.
Não fôra no período de agosto-setembro de 1925, que o Governo reconhecera o
radioamadorismo. Repito a pergunta: - se não fôra em 1925, em que data, de 1924, o
fizera? Deste ambívio devo fugir e escolher a trilha da verdade.
No discurso de ROQUETTE-PINTO, na LABRE, no "DIA DO RADIOAMADOR" (!), publicado
no QTC-53/26, encontro isto: "Finalmente, ainda no mês de novembro, DIA 24, vinha o
reconhecimento do governo, dos radioamadores não existia. Eram verdadeiros "maquis".
Faziam suas transmissões, lá, escondidinhos, como Deus queria. Agora, não: tudo ia
mudar, porque, pela primeira vez, na legislação brasileira, graças à REPRESENTAÇÃO QUE
NÓS FIZEMOS EM 23, na Academia de Ciências, o Governo baixava o decreto 16.657, de
05 de NOVEMBRO dizendo o seguinte: Art. 43 - As estações rádio emissoras para o
serviço particular ficam divididas em quatro grupos: estações destinadas ao
estabelecimento de comunicações; estações destinadas a difusão pública de
comunicações de interesse geral (broad-casting); estações destinadas a ensaios de ordem
técnica, ou experimental; Parágrafo 4 - Estações de amadores ! Ah! Com que alegria a
gente encontrou isso na lei.
Pela primeira vez o amador passava a ser alguém. Estava batizado. Já não era mais
pagão. O artigo 48 dizia: "Os proprietários de estações emissoras a que se refere o
parágrafo 4 (que eram os amadores) devem ser habilitados mediante prova prestada na
Repartição Geral dos Telégrafos, a qual constará de transmissão, de recepção a ouvido a
razão de 10 palavras por minuto e a argüição sobre o funcionamento da sua estação..."
Como se vê, ROQUETTE põe em limpo o assunto. Por muitos anos, apesar de lidas
algumas vezes, espaçadamente, nestas palavras do vexilário do rádio não vislumbrei a
chave do mistério, que, para mim, se continha naquele "DIA 24".
Somente após descobrir, ao dar tento, que a fala autorizada fôra taquigrafada, aventei a
razão porque não conhecera, antes, a verdade. Aquele "DIA 24" fôra invento do
taquígrafo ao traduzir, erradamente, dos taquigramas, a frase "NO MÊS DE NOVEMBRO
DIA 24". Não dissera o orador "DIA 24", mas "novembro "DE" 24", que é outra coisa:
"MÊS DE NOVEMBRO DO ANO DE 1924" ! Esvaeceram-se, assim, as trevas do pretérito,
pela palavra inconcussa e incontestável do "PAI DO RÁDIO", não deixando no espírito
ressumbro da menor dúvida, como o testificam as provas obtidas, no sentido de
demonstrar que o DIA 22 DE OUTUBRO NÃO É O "DIA DO RADIOAMADOR" ! Influiu,
ainda, em que perdurasse o equívoco, a circunstância de as licenças aos radioamadores,
dadas pelo DCT, lhes terem vindo às mãos, somente em novembro de 1926. Como se vê
neste clichê da licença de JONES () e do memorando que a acompanhou, fôra ela passada
"DE ACÔRDO COM O ARTIGO 62 DO REGULAMENTO APROVADO PELO DECRETO Nº.
16.657, DE 05 DE NOVEMBRO DE 1924".
As licenças dos demais radioamadores brasileiros foram recolhidas, anos depois, para
RENOVAÇÃO, como se fez, há pouco, após a Revolução de 1964, instituindo o CONTEL. Os
títulos das licenças posteriores não falavam nesse Decreto nº. 16.657, pelo que por
longos anos, passou despercebida a data de 05 de NOVEMBRO. JONES abandonara o
radioamadorismo, como ficou dito neste livro, motivo por que conservou a licença
primitiva, reproduzida agora, em clichê, e esclarecedora do assunto (Doc. 2 e 3).
Não é possível coacervar mais fatos, mais notícias, mais provas a favor de uma opinião de
certa certeza. Não me tornei obsequente seguidor de parecer alheio, mas descobrira a
verdade, cortadas quaisquer controvérsias, para o diante. Como ficarão, no cabo, quanto
a elas, os propugnadores desse dia 22 de outubro? O decreto número 16.657, de 05 de
novembro de 1924, baixado pelo Governo, em virtude da representação da Academia
Brasileira de Ciências, (ROQUETTE e MORIZE) em 1923, ao reconhecer a existência do
radioamador no Brasil, dera-lhe autorização de operar, livremente, e surdir como
deanteiro, inconteste e prestigioso, do rádio, no mundo.
Assim, se este decreto reconheceu o radioamador, passe que, forçosamente, de remate,
afirmem todos os labreanos: O DIA 05 DE NOVEMBRO É O DIA DO RADIOAMADOR ! Obs:
(Indicações entre parêntesis são de documentos disponíveis no original)
Caros amigos e colegas: A transcrição respeita o texto original de JOÃO RAMOS
BACCARAT - PY2AJ, foi apresentado ao Egrégio Conselho Federal da LABRE na Reunião de
Curitiba, Paraná, no ano de 1968. O que estava em letras maiúsculas continua.

fonte:http://labre.org.br/

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Neste final de Semana 63º Rancho do Radioamador Gaúcho


-DICAS DE HOSPEDAGEM

Considerando a localização geográfica de Vale Vêneto, a opção mais próxima do local do evento é a utilização de pousadas, quartos em casas particulares e Hotéis.

* Casa de Retiros N. Sra. De Lourdes. Irmãs do Imaculado Coração de Maria – (a 200m do local)
Café da manhã, camas individuais, Ar condicionado, Custo: R$ 70,00 por pessoa
Fone: (55) 3289 1006 e-mail: casaretiroslou@gpsnet.com.br
Site: www.acisa.polesine.com.br/retiro Vagas limitadas.
* Reservas em casas particulares em Vale Vêneto: Entre em contato com Tânia
-Fone: 55 3289 1146 - 55 9981 4730
-e-mail: trturismo@yahoo.com.br
Outras sugestões de hospedagem na região:
1- Em Faxinal do Soturno: (a aproximadamente 12 km do local)
-Zanon Hotel Fone: 55 3263 1295
2- Em Recanto Maestro:
-Pousada Recanto -Fone: 55 3220 0350 - 55 9920 3487 ( A 6 km do local) -e-mail: pousada.rm@gmail.com -Site: www.pousadarecanto.com
3- Em Silveira Martins:
-Pousada e restaurante Pinton – 30 leitos – Fone: 3224 1124 ou 55 9646 8455
-e-mail: pousadapinton@gmail.com - (A 7km do local)
-Quarto casal R$ 150,00 com café da manhã. Solteiro, R$ 80,00 – Fale com Cristiane
4- Em Santa Maria:
Temos uma grande rede hoteleira, que vai satisfazer e todos os desejos e condições financeiras.

SAIBA MAIS Visite os sites:
www.saojoaodopolesine.rs.gov.br
www.polesine.com.br
www.valeveneto.net
fonte:http://py3ur.blogspot.com.br/