Repetidora

Repetidora

Prados-MG


Prados é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localiza-se a uma latitude 21º03'27" sul e a uma longitude 44º04'47" oeste, estando a uma altitude de 979 metros. Sua população estimada em 2010 era de 8.391 habitantes.
Possui uma área de 263,754 km².
A origem de Prados remonta à descoberta de ouro no vale do Rio das Mortes, mesma causa de ocupação de São João del-Rei e Tiradentes.

Índice

  • 1 História
  • 2 Turismo
  • 3 Cultura
  • 4 Ligações externas

 História

FUNDAÇÃO

Centro de mineração, o arraial dos Prados surgiu nos princípios do século XVIII. Segundo a tradição local, foram os paulistas da família Prado os fundadores do arraial.A fixação na localidade data 1704, quando a família Prado (Manoel e Félix Mendes do Prado), vindos de Taubaté - SP, iniciaram ali a exploração do ouro. Além de núcleo minerador, a localidade servia como ponto de parada de tropeiros e bandeirantes, que do centro das minas dirigiam-se para a Zona da Mata e ali permaneciam alguns dias para descansar e comprar gêneros alimentícios, favorecendo o rápido crescimento da população local. O povoado que logo surgiu teve como primeiro templo uma humilde capela coberta de sapé, consagrada a Nossa Senhora da Conceição. Pouco depois, um dos fundadores, já então senhor de considerável fortuna, juntamente com outros habitantes ricos, contrataram artistas de comprovada competência e entregaram-lhes a incumbência de construir um templo mais ostensivo. Suas obras, desde logo iniciadas, só puderam ser terminadas 50 anos depois, sem que houvesse interrupções nos trabalhos.
A localidade de Prados pertenceu a São José del Rei, atual Tiradentes, desde que foi criada a vila até o ano de 1890, quando o próprio arraial foi elevado a categoria de vila, com a criação do município autônomo, recebendo o título de cidade em 1892.

Com o esgotamento das jazidas de ouro na região, o arraial de Prados partiu para uma nova alternativa econômica, com a instalação de pequenas indústrias de artefatos de couro, cujo desenvolvimento transformou a localidade num importante centro mineiro de exploração industrial e artesanal do couro.
PRADOS E A INCONFIDÊNCIA MINEIRA

Prados nasceu quase na mesma época em que Tiradentes e São João del-Rei. Essas vilas cresciam, a população multiplicava-se e os detentores de sesmarias exploravam suas lavouras de subsistência sempre sob o brilho do ouro, que era o fator que despertava a cobiça de todos, fazendo que tudo girasse nessa função. Quando as minas começaram a decair, começou a cair também o sentimento de fidelidade ao Reino. Com a cobrança do “quinto”, os mineradores começaram a ficar inconformados com o insaciável apetite do fisco da Real Coroa. Era o nascimento da Inconfidência Mineira.
A região passa a ser o centro da vida política do Brasil, e Prados participou ativamente desse movimento. Importantes personagens da Inconfidência ali nasceram e residiram, como o Cel. Francisco Antônio de Oliveira Lopes; sua esposa, D. Hipólita Jacinta Teixeira de Melo; Padre José Lopes de Oliveira, cunhado de D. Hipólita; o alfaiate Vitoriano Gonçalves Veloso, o único negro do movimento; Francisco José de Melo e José de Resende Costa, pai, o mais velho dos conjurados.
arquitetura bem preservada
Conhecer Prados é conhecer não apenas a história de Minas, mas a própria história da liberdade do Brasil. Da a vila até o ano de 1890, quando o próprio arraial foi elevado a categoria de vila, com a criação do município autônomo, recebendo o título de cidade em 1892.Com o esgotamento das jazidas de ouro na região, o arraial de Prados partiu para uma nova alternativa econômica, com a instalação de pequenas indústrias de artefatos de couro, cujo desenvolvimento transformou a localidade num importante centro mineiro de exploração industrial e artesanal do couro.

 Turismo

CARNAVAL

O carnaval de Prados ocorre no Centro da cidade, possuindo diversificações em suas manifestações, contudo na sua modalidade mais conhecida se destaca o desfile de blocos. Essa festividade acompanha as datas nacionais reservadas a tal celebração, portanto sua periodicidade é anual, executada no mês de fevereiro.
O carnaval potencializa uma intensa movimentação da cidade, com ampliação do comércio (sobretudo o de bebidas) e dos serviços de restaurantes e hotelaria.
Durante o evento, há definições de locais apropriados para a montagem de barracas. Estabelecimentos como bares e lanchonetes também ampliam seus espaços, com demarcações nas calçadas.No entorno mais amplo do núcleo da cidade é proibido o tráfego de veículos particulares, até mesmo porque seria inviável, haja vista a alta concentração de pessoas. O evento se difunde por várias ruas, com constante trânsito de foliões.
A área reservada ao desfile se situa entre as ruas Coronel João Luiz, Coronel João Manuel e travessa Marques Costa. Cabe à prefeitura municipal organizar a infra-estrutura do evento, estabelecendo serviços como banheiros públicos, latas de lixo, iluminação e sonorização adicional. Além disso, é montado atendimento médico específico, além de solicitação de reforço policial.
O desfile temático cabe aos dois blocos carnavalescos existentes, UCA e Gato Preto. São eles que organizam as apresentações, arcando com os custos da indumentária, instrumentos e sonorização eletrônica própria. Cada bloco possui sua própria direção.
Na UCA o responsável máximo é Marlon Teixeira Carvalho e no Gato Preto a presidente se chama Maria Aparecida Dantas.

INTERVENÇÕES

Não houve registros de modificações decisivas na atividade. Foi do começo do século XX até as décadas de 1950 e 1960, que o carnaval pradense assumiu a atual forma. Percebe-se nos últimos cinco anos uma expansão da festividade, com novos participantes (turistas), cobertura da mídia televisiva e impressa e construção de melhor infra-estrutura.

Semana Santa

Acompanha o calendário de feriados nacionais. Ritual tradicional em Prados, encena todos os quadros da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Conta com o apoio da Lira Ceciliana, que executa músicas religiosas do Barroco Mineiro, de compositores regionais como Lobo Mesquita e Pe. José Maria Xavier. Inicia-se no Sábado anterior ao Domingo de Ramos, quando se realiza a procissão do Depósito, que sai da Matriz para a Capela do Rosário ao som de marchas executadas pela Lira Ceciliana. Inicia-se com a procissão do Triunfo de Nosso Senhor. O Domingo de Ramos inicia-se com a Santa Missa na Matriz. Após a missa, no adro da Capela do Rosário, é dada a Benção dos Ramos, seguida da Procissão de Ramos até a Matriz. Na Segunda-feira, a Procissão do Encontro sai da Capela Nossa Senhora do Rosário com o cortejo levando Nosso Senhor dos Passos para os Cinco Passos da Paixão, indo de encontro ao cortejo que sai da Matriz com Nossa Senhora da Conceição. Após o encontro, a banda toca marchas. Na Terça e na Quarta feiras saem a Procissão do Depósito, de Nossa Senhora da Conceição e da Soledade de Nossa Senhora, respectivamente. Acompanham coral e banda. Na Sexta-feira acontece a cerimônia do Descendimento da Cruz, seguida da Procissão do Senhor Morto, acompanhado pelos doze apóstolos carregando os martírios e acompanhados por personagens bíblicos vestidos à época, ao som da marcha fúnebre. No Sábado pela manhã é celebrado o Ofício de Trevas; a imagem do Senhor Morto fica exposta na capela do Santíssimo Sacramento para visitação dos fiéis. À meia noite a Procissão da Ressurreição serpenteia ao som dos repiques dos sinos e da banda. A celebração encerra no Domingo da Ressurreição com procissão com a imagem de Nossa Senhora, e na Matriz o canto do TE DEUM LAUDAMUS.

Encontro do Pradense Ausente

convite do útimo encontro

Na sua primeira edição, realizado no ano de 2005, foi feito juntamente com o feriado de Corpus Christi. O objetivo do Encontro é homenagear os pradenses que vivem fora do município, dando oportunidade para que se reúnam uma vez por ano em sua terra natal.
O Encontro possui uma programação bem variada, com apresentações da Lira Ceciliana, Missa em homenagem ao pradense ausente, manifestações culturais como o Boi Mofado e a Folia de Reis, teatro, violeiros e sanfoneiros, contadores de “causos”, encontro de tropeiros, roteiros para caminhantes e ciclistas e apresentações de músicos pradenses e filhos.

Passeio à Serra

serra de PRADOS-MG
É realizado na primeira quinzena do mês de Julho. Na sexta-feira anterior há diversas programações realizadas pela prefeitura, gerando muito movimento nas ruas. Após as festas, às seis horas da manhã do sábado, todos saem em direção à Serra de São José, se divertindo, mesmo com o intenso frio. A volta ocorre às quinze horas do Sábado, geralmente com uma programação musical na Praça Dr. Viviano Caldas. O passeio é uma tradição de 142 anos. A idéia original nasceu de um casal de noivos, que resolveram realizar a recepção do casamento ao ar livre, no alto da Serra. Há quem conte que um grupo de pradenses, boêmios, por volta de 1868, resolveram fazer um piquenique no alto da Serra, e que a cada ano atraiu mais e mais pessoas surgindo assim a tradição do “Passeio à Serra”. Na década de 20, a Banda da Lira Ceciliana também subia a Serra e no topo, todos faziam piqueniques e depois dançavam as músicas tocadas pela Banda.
Festival de Música
A história dos festivais de música de Prados está relacionada com o interesse pelos acervos de manuscritos musicais existentes nas antigas corporações mineiras, como a Lira Ceciliana.
O primeiro encontro entre os fundadores do evento se deu quando o maestro da Osesp- USP Olivier Toni, viajando por Minas Gerais com um grupo de estudantes de música da universidade de São Paulo, e guiados pelo mesmo interesse, deparou-se em Prados com o maestro Adhemar Campos Filho. Desde então, os festivais vêm sempre reservando, nos programas de suas apresentações, um espaço destinado a fazer reviver sonoramente o repertório mineiro, guardado nos arquivos musicais durante os últimos três séculos.
O Festival de Música de Prados é realizado na segunda quinzena do mês de julho, através das parcerias entre a Prefeitura e a Fapesp, e demais patrocinadores. O Festival reúne músicos de São Paulo e Prados, enriquecendo o inverno cultural da cidade.
Exposição agropecuária e feira artesanal

A Prefeitura e a Associação dos Produtores Rurais de Prados realizam, anualmente, no mês de setembro, a Expo Prados, exposição agropecuária da cidade que acontece através de festa reservada a torneios leiteiros, concursos de marcha, rodeios e apresentações musicais. Ao mesmo tempo, são expostos em feira os produtos artesanais e industriais da região. A festa ocorre no final de semana do feriado do dia 07, atraindo visitantes da região.
Após oito anos interrompida (1997 a 2004), a Administração “Trabalhando Para Todos” recuperou o Parque de Exposições, reconstruiu as instalações e fazendo novas estruturas, voltou a realizar no ano de 2005 a exposição da cidade. Em 2008, a festa foi rebatizada recebendo o nome de “Expo Prados”, em comemoração aos seus 20 anos.
A Exposição é uma das mais antigas da região e tem como principais objetivos a recuperação da bacia leiteira do município, o desenvolvimento agropecuário e o intercâmbio de informações entre os produtores rurais.
Durante o evento, ocorrem apresentações de rodeios, shows todas as noites, desfile de carros de boi, cavalgada, torneio leiteiro, julgamento de morfologia de gado e concurso de marcha.
Festa da Padroeira


Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, é festejada com grande pompa no dia 08 deste mês. A festa é precedida de uma novena que conta com a participação da Orquestra da Lira Ceciliana. A novena inicia-se no dia 29 de Novembro, sendo que o auge da festa atinge o dia 03 de Dezembro, quando se realiza uma Missa cantada e “Te Deum”. Observa-se grande influência da música popular folclórica, notadamente as modinhas, nas composições eruditas sacras. No dia da festa passam procissões, são celebradas de missas solenes e leilões. Tem-se notícia desta festa desde 1716, quando originou o primeiro nome do povoado.

 Cultura

Prados sempre manteve relevante destaque na área cultural, sobretudo no campo da música. Em 1858 já havia sido fundada a corporação Banda-Lira Ceciliana (clique aqui) que até hoje mantém orquestra sacra, banda de música e coral em plena atividade.A corporação, composta por orquestra, banda, coral e escola de música, realiza anualmente o Festival de Música de Prados, em parceria com a Universidade de São Paulo - USP, numa demonstração viva da importância que a comunidade dá à suas raízes históricas.
Além da música, o município se notabiliza pela manutenção de suas festas mais tradicionais, de seu rico artesanato, e, sobretudo pelo valioso acervo artístico-histórico, representado por monumentos religiosos urbanos e rurais ricos em elementos arquitetônicos e ornamentais de feição barroco-rococó, assim como pelo remanescente casario ainda em linhas construtivas dos séculos XVIII e XIX.
Atualmente a economia local vem buscando alternativas de renda na área turística, principalmente no artesanato, que já possui reconhecimento internacional. A cidade destaca-se mais pela preservação de seu patrimônio histórico e de suas tradições culturais do que pelo desenvolvimento econômico.

TV REGIONAL:
 
APOIO CULTURAL: 
Restaurante grotão (32)  3353 6846