Repetidora

Repetidora

Santana do Garambéu - MG

Histórico
 

IGREJA MATRIZ
 Durante quase todo o século XVIII, a mineração do ouro e pedras preciosas, foram as principais atividades da colônia. Esta exploração nos aluviões dos rios, fez surgir vários núcleos de povoamento que desenvolveram-se rapidamente, transformando-se em cidades e vilas.
Como em vários municípios mineiros, Santana do Garambéu tem sua origem às margens de um grande rio, onde mineradores paulistas e portugueses, procedentes na maioria de Taubaté, transpondo a Mantiqueira pela garganta do Embaú (hoje Cruzeiro), desbravaram os sertões e estabeleceram-se no território e, com a força de escravos, exploravam o mineral.
Já no final do século, os depósitos superficiais se esgotaram, levando a mineração a decadência, sendo substituída gradativamente pela lavoura e criação de gado.
Nas investigações realizadas, não foi possível determinar com rigor a data em que se estabeleceu nessas paragens a primitiva comunidade, que deu origem ao povoado. Consta nos arquivos do Museu Cultural do Município, que a construção da Capela de Santana, ocorreu nos meados do século XVIII, assim como o registro do antigo povoador "Capitão José Viçoso".
Garambéu é uma palavra de origem Tupi, onde seu significado teve aglutinação de duas expressões "Caá" (mato) e "Mbaé" (o que, que coisa). Segundo os tupinólogos a melhor tradução é "que mato tão abrangente é esse".
 

Gentílico: santanense
 

Formação Adiministrativa
 

Inicialmente, o povoado de Garambéu foi elevado à condição de Distrito pela Lei n° 52, de 1836.
Somente após 126 anos, através da Lei n° 2.764, de 30-12-1962, o Distrito passou à condição de Município, recebendo o nome atual de Santana do Garambéu em homenagem a sua padroeira.

Alteração Toponímica Distrital
Distrito único, tendo a comarca de Barbacena.
Fonte: Prefeitura Municipal de Santana do Garambéu
Autor do Histórico: MÁRCIO JOSÉ GUIMARÃES




Cachoeira agua limpa

Rio grande

Cachoeira agua limpa